Este canal é patrocinado por
Este canal é patrocinado por

Meta quer melhorar rastreamento ocular e facial

Por: Antonio Cervi. 20 de Janeiro de 2022

O metaverso da Meta está explorando novos caminhos em direção a algum tipo de experiência perfeita. A empresa de Mark Zuckerberg parece ter identificado seu melhor caminho: gráficos poderosos.

Para alcançar uma melhor imersão em mundos virtuais, em que cada vez mais empresas estão se unindo, a tecnologia atualmente utilizada para acessar o metaverso precisa ser melhorada.

Leia também: Consequências negativas do metaverso nas redes sociais

Por isso, de acordo com informações do Financial Times, a Meta começou a patentear tecnologia para rastrear os movimentos oculares e expressões faciais dos usuários.

Expressões faciais para melhorar a experiência e os anúncios

Há pouco menos de uma semana, foi revelado que a empresa já tinha registrado um olho robótico para acelerar o desenvolvimento de suas aplicações de realidade aumentada e realidade virtual. As patentes descobertas pelo Financial Times, assim como o olho robótico, seriam focadas na tecnologia de rastreamento ocular e no rastreamento da expressão facial.

Nick Clegg, diretor de assuntos globais da Meta, falou com o Financial Times sobre o assunto. Ele disse que o rastreamento dos dados do metaverso poderia ajudar os anunciantes a "entender se as pessoas estão ou não interagindo com um anúncio" dentro deste universo virtual.

O olho patenteado pela Meta. Foto: Divulgação/Financial Times

Para adaptar o conteúdo exibido aos usuários do metaverso, segundo o veículo britânco e com base nas patentes às quais ele teve acesso, os sensores poderiam ser usados dentro de um fone de ouvido, que rastrearia as expressões faciais. Aliás, a experiência dentro do metaverso também seria melhorada com gráficos aprimorados.

O movimento da Meta se soma ao de várias outras empresas de diversos setores que registraram patentes mirando o futuro no metaverso.

Conforme foi informado pelo Promoview, a Walt Disney Company obteve em 28 de dezembro a patente de um simulador do espaço virtual no metaverso que usa realidade aumentada (RA) e não precisa de óculos, fones de ouvido, celulares ou outros dispositivos para a interação com o ambiente.

Leia também: O que é Decentraland ?

O Promoview também mostrou no fim do ano passado que a Nike fez a requisição para sete patentes diferentes nos Estados Unidos, todas envolvendo conteúdos on-line e o metaverso.

O texto obtido pelo pelo portal CNBC deixa clara a intenção em comercializar itens virtuais relacionados à marca Nike e às suas submarcas.

Os pedidos de patente são referentes a slogans famosos, como “Just Do It”, além das logos “Air Jordan” e “Jumpman” e o tradicional símbolo da empresa. 

Ainda assim, as patentes continuam sendo apenas patentes e não algo que necessariamente será desenvolvido no futuro. Um porta-voz da Meta, referindo-se ao olho robótico, já disse ao Insider que são simplesmente desenhos que foram arquivados, e nada mais: "Embora não comentemos sobre a cobertura específica de nossas patentes ou nossas razões para arquivá-las, é importante notar que nossas patentes não cobrem necessariamente a tecnologia usada em nossos produtos e serviços", conclui.

Tags: meta Facebook publicidade realidade-aumentada